Parabéns – 200° post do blog Medidas de Fé

 

"Mas graças sejam dadas a Deus, que nos concede sempre triunfar em Cristo, e que por nosso meio difunde o perfume do seu conhecimento em todo lugar" (II Coríntios 2,14)

Olá!

Este é o 200° post do blog Medidas de Fé.

Agredeço imensamente a Deus Pai, que age em todo o agir de suas criaturas. E é a causa primeira que opera nas causas segundas e por meio delas: “Pois é Deus quem opera em vós o querer e o operar, segundo a sua vontade” (Catecismo da Igreja Católica, §308) (Fl 2,13).

Rendo louvores a  Jesus Cristo que por sua santíssima Paixão no madeiro da cruz mereceu-nos a justificação (Catecismo da Igreja Católica, §617)

Enalteço o amor de Deus, o Espírito Santo, uma das Pessoas da Santíssima Trindade, consubstancial ao Pai e ao Filho, “e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado” (Catecismo da Igreja Católica, §685)

Agradeço publicamente também aos meus formadores de caminhada, em especial ao Padre José Carlos, meu pároco e diretor espiritual que tanto apóia esta iniciativa, ao Padre Paulo Ricardo que nutre a internet brasileira com “iguarias espirituais” no Christo Nihil Praeponere, ao Padre Roberto Lettieri da Toca de Assis pelas pregações, à  Associação Cultural Montfort, repositório doutrinal da Igreja no Brasil e ao meu amigo Ricardo Brandão, que sempre divulga para todo o Distrito Federal, em AM e FM, os textos deste blog em seu programa “Nova Manhã” na rádio Nova Aliança.

Louvo a Deus pela vida dos internautas que acessaram este espaço nos últimos 10 meses. Meus leitores são as belezas escondidas que Deus revela diariamente.

Só em 2011 o blog Medidas de Fé teve mais de 12 mil acessos.

E para que a ocasião tenha mais sentido, deixo o texto de um dos meus escritores favoritos e que com certeza já deve ter influenciado muitos leitores deste blog.

Um forte abraço. Muito obrigado!

“És grande, Senhor e infinitamente digno de ser louvado; grande é teu poder, e
incomensurável tua sabedoria. E o homem, pequena parte de tua criação quer louvar-te, e
precisamente o homem que, revestido de sua mortalidade, traz em si o testemunho do pecado e a
prova de que resistes aos soberbos. Todavia, o homem, partícula de tua criação, deseja louvar-te.
Tu mesmo que incitas ao deleite no teu louvor, porque nos fizeste para ti, e nosso coração está
inquieto enquanto não encontrar em ti descanso.
Concede, Senhor, que eu bem saiba se é mais importante invocar-te e louvar-te, ou se
devo antes conhecer-te, para depois te invocar. Mas alguém te invocará antes de te conhecer?
Porque, te ignorando, facilmente estará em perigo de invocar outrem. Porque, porventura, deves
antes ser invocado para depois ser conhecido? Mas como invocarão aquele em que não crêem?
Ou como haverão de crer que alguém lhos pregue?
Com certeza, louvarão ao Senhor os que o buscam, porque os que o buscam o encontram
e os que o encontram hão de louvá-lo.
Que eu, Senhor, te procure invocando-te, e te invoque crendo em ti, pois me pregaram teu
nome. invoca-te, Senhor, a fé que tu me deste, a fé que me inspiraste pela humanidade de teu
Filho e o ministério de teu pregador”

Santo Agostinho, Confissões

CAPÍTULO I – Louvor e Invocação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>